A importância do protagonismo da pessoa com câncer e seus direitos marcam abertura do Abril Branco

Por Camaleão 02 de Abril | 2021

A medicina conta com recursos que tem elevado consideravelmente a sobrevida global do paciente com câncer - indicando que, hoje, mais do que superar a doença, é possível que a pessoa decida como quer viver.

Para tanto, considerando a plenitudade dessa vida - e a importância de tal protagonismo -, inúmeras ferramentas estão à disposição de pacientes e seus familiares. Para garanti-las é preciso pró-atividade e acesso à informação de qualidade, o que permitirá tomadas de decisões conscientes.

Foi nesse contexto que o primeiro Conversas Abertas de 2021, com o tema ‘Paciente: você conhece seus direitos?’, deu início, na noite de quinta-feira, 1, à programação da 5ª edição do Abril Branco - o câncer em todas as cores, promovido pela ONG Projeto Camaleão.

 

A atividade contou com a participação da fundadora e presidente do Instituto Oncoguia, psico-oncologista Luciana Holtz; da médica nefrologista e especialista em bioética, Caroline Rech; da advogada e ex-paciente, Ana Paula Oliveira; além da assistente social do Projeto Camaleão, Fabiana Guedes; com mediação da presidente do Projeto Camaleão, Flávia Maoli.

 

Postura ativa

Por cerca de duas horas, as painelistas e o público presente à conferência virtual discutiram, via plataforma Zoom, direitos legais, sociais, humanos e bioéticos ligados à pessoa com câncer. No centro do debate, além da legislação, destacou-se o entendimento de que uma postura atuante e responsável do paciente durante o tratamento pode fazer a diferença. “O paciente precisa ser ativo, afinal, ele é o protagonista de sua saúde”, resumiu Luciana Holtz do Instituto Oncoguia.

O raciocínio foi reforçado pela nefrologista e membro do Comitê de Bioética do Grupo Hospitalar Conceição, Caroline Rech - que frisou ser direito da pessoa com câncer, entre outros, o acesso a seu prontuário, bem como dever do médico o respeito e a promoção da autonomia do paciente - que pode, e deve, participar da tomada de decisões em seu tratamento.

Estimulada pela audiência, Caroline também explicou o papel da Diretiva Antecipada de Vontade, instrumento que assegura a vontade de morrer dignamente (chamada de Testamento Vital, em Portugal), indicando caminhos possíveis. “O ideal é que a pessoa o faça com amparo de um profissional da saúde, levando em conta aquilo que dá sentido à sua vida, o que é importante para ela. Assim, sua vontade ficará registrada quando ela não mais tiver o poder de decisão”, pontuou.

O encontro, a partir de olhares e experiências da advogada Ana Paula Oliveira, da assistente social, Fabiane Guedes, e da mediadora Flavia Maoli, também tratou da possibilidade de criação e implementação de leis que beneficiam quem enfrenta a doença; além de chamar a atenção para a divulgação da Lei dos 30 Dias, que deve garantir o diagnóstico do câncer dentro deste período pelo SUS, e a Lei dos 60 Dias, que garante o início do tratamento oncológico em até 60 dias após o diagnóstico pelo Sistema Único de Saúde. 

 

Assista ao encontro completo abaixo: 

 

O que vem por aí

O cronograma de palestras do Abril Branco segue na próxima quinta-feira, 8, com o seguinte tema: PALIATIVISMO - NÃO É ISSO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO, com a participação de Germaine Tillwitz (Casa Paliativa); Leonardo Consolim (médico paliativista); Jussara Del Moral (Youtuber @supervivente); Maria Paula Lopes Bandeira (advogada e idealizadora do @lencododia); Thay Barros (empreendedora e idealizadora do @oncomaers); e Fernanda Dal Toé (oncologista) .

No dia 15, será a vez de discutir CÂNCER E COVID: O QUE VOCÊ PRECISA SABER, no dia 22, NUTRIÇÃO ONCOLÓGICA: MITOS E VERDADES; e no dia 29, COMO ANDA A SUA SEXUALIDADE?.

Além dos encontros virtuais, a 5a edição do Abril Branco será marcada pela produção de conteúdo informativo no site e redes sociais do Projeto Camaleão; divulgação na imprensa; depoimentos de pacientes; conexão de pacientes com ONGs de apoio em diversos estados do país; ações de informação e mobilização junto aos deputados estaduais da AL/RS sobre o Projeto de Lei nº48/2021; divulgação de vídeos curtos para profissionais de saúde, com informações sobre os cinco principais tipos de câncer (mama, próstata, pulmão, colorretal e pele); e venda de produtos e serviços (camiseta, bijuteria, café, design de sobrancelha, etc) por parceiros com reversão de % para a ONG Camaleão.

Mais informações podem ser obtidas no site: abrilbranco.org, onde estarão reunidas todas as iniciativas, além de questionário com o objetivo de levantar informações de pacientes sobre seus conhecimentos e percepções das questões relativas ao diagnóstico e tratamento do câncer.

 

Parceiros

Em 2021, a campanha Abril Branco tem investimento social da Unimed-RS, por meio da Federação Unimed/RS, Central de Serviços e Instituto Unimed/RS; Novartis, Astellas, além de apoio da Remed e apoio de mídia da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho.

 

 

 

 

Categorias: Camaleão na Mídia, Blog

Postagens Relacionadas

@projetocamaleao

Acreditamos que o câncer pode ser uma sentença de vida!