Dia Mundial da Leucemia

Por Camaleão 03 de Setembro | 2021

A leucemia é um câncer que tem início nas células-tronco da medula óssea, local de fabricação das células sanguíneas que ocupa a cavidade dos ossos. Com o objetivo de alertar para a importância do diagnóstico precoce e tratamento da doença, no dia 4 de setembro é celebrado o Dia Mundial da Leucemia, uma campanha global anual iniciada pela Leukemia Care, instituição inglesa em colaboração com grupos de pacientes em todo o mundo. 

Atenta à data, a ONG Projeto Camaleão desenvolve ao longo do mês campanha digital educativa “Leucemia não é tudo igual”  buscando explicar os diferentes tipos da doença.

Doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente, de origem desconhecida, ela tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais. Na leucemia, explica o Instituto Nacional de Câncer (INCA), uma célula sanguínea que ainda não atingiu a maturidade sofre uma mutação genética que a transforma em uma célula cancerosa. Essa célula anormal não funciona de forma adequada, multiplica-se mais rápido e morre menos do que as células normais. Dessa forma, as células sanguíneas saudáveis da medula óssea vão sendo substituídas por células anormais cancerosas.

Existem mais de 12 tipos de leucemia, sendo que os quatro mais frequentes são leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL).

 

Detecção precoce

De acordo com o INCA, a detecção precoce do câncer é uma estratégia para encontrar um tumor em fase inicial e possibilitar maior chance de tratamento. A identificação pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença ( exames de diagnóstico), ou com o uso de exames periódicos em pessoas sem sinais ou sintomas (exames de rastreamento), mas pertencentes a grupos com maior chance de ter a doença.

Já o diagnóstico precoce desse tipo de câncer possibilita melhores resultados em seu tratamento e deve ser buscado com a investigação de sinais e sintomas como:

# Palidez, cansaço e febre;

# Aumento de gânglios;

# Infecções persistentes ou recorrentes;

# Hematomas, petéquias e sangramentos inexplicados;

# Aumento do baço e do fígado.

Na maior parte das vezes esses sintomas não são causados por câncer, mas é importante que sejam investigados por um médico.

 

Diagnóstico

Diante da suspeita de um quadro de leucemia, o paciente deverá realizar exames de sangue e deverá ser referenciado para um hematologista, para avaliação médica específica.

O principal exame de sangue para confirmação da suspeita de leucemia é o hemograma. Em caso positivo, o hemograma estará alterado, mostrando na maioria das vezes um aumento do número de leucócitos (na minoria das vezes o número estará diminuído), associado ou não à diminuição das hemácias e plaquetas.  Outras análises laboratoriais devem ser realizadas, como exames de bioquímica e da coagulação, e poderão estar alteradas.

A confirmação diagnóstica é feita com o exame da medula óssea (mielograma). Nesse exame, retira-se uma pequena quantidade de sangue, proveniente do material esponjoso de dentro do osso, para análise citológica (avaliação da forma das células), citogenética (avaliação dos cromossomos das células), molecular (avaliação de mutações genéticas) e imunofenotípica (avaliação do fenótipo das células).

Algumas vezes pode ser necessária a realização da biópsia da medula óssea. Nesse caso, um pequeno pedaço do osso da bacia é enviado para análise por um patologista.

O que aumenta o risco?

Muitos estudos examinaram o papel dos fatores de risco em leucemia mielóide aguda e leucemia linfocítica aguda. A radiação ionizante e o benzeno são os fatores ambientais que até agora foram comprovadamente associados à leucemia aguda. Há outros fatores ambientais menos ligados a esse tipo de leucemia.

As causas da leucemia ainda não estão definidas, mas, faz-se a associação entre determinados fatores com o risco aumentado de desenvolver alguns tipos específicos da doença:

  • Tabagismo: leucemia mieloide aguda.
  • Benzeno (encontrado na gasolina e largamente usado na indústria química): leucemia mieloide aguda e crônica, leucemia linfóide aguda.
  • Radiação ionizante (raios X e gama) proveniente de procedimentos médicos (radioterapia). O grau de risco depende da idade, da dose de radiação e da exposição: leucemia mieloide aguda e crônica e leucemia linfóide aguda;
  • Quimioterapia (algumas classes de medicamentos usados no tratamento do câncer e doenças auto-imunes): leucemia mieloide aguda e leucemia linfóide aguda;
  • Formaldeído, por exposição ocupacional em indústrias (química, têxtil, entre outras), área biomédica/saúde (hospitais e laboratórios: antisséptico, desinfetante, fixador histológico e solvente), além do uso não autorizado pela Anvisa desta substância em alguns salões de beleza (procedimento de alisamento capilar): leucemia mieloide
  • Produção de borracha: leucemias;
  • Síndrome de Down e outras doenças hereditárias: leucemia mieloide aguda;
  • Síndrome mielodisplásica e outras desordens sanguíneas: leucemia mieloide aguda;
  • História familiar: Leucemia mieloide aguda e leucemia linfóide crônica.
  • Idade: quanto maior a idade maior o risco de desenvolver leucemia. Exceto a leucemia linfoide aguda, que é mais comum em crianças. Todas as outras formas são mais comuns em idosos.
  • Exposição a agrotóxicos, solventes, diesel, poeiras, infecção por vírus de hepatite B e C: leucemias

 

Você sabia?

# Segundo dados do INCA, em 2021, são esperados 10.810 novos casos de Leucemia no Brasil, sendo que 54,7% deles diagnosticados em homens, e 45,3% em mulheres. 

 

# De acordo com o Atlas de Mortalidade por Câncer, referente ao ano de 2019, 7.370 perderam a vida em razão da doença (54,5% do sexo masculino; e 45,5%, feminino).

 

# A leucemia é o 13º câncer mais comum do mundo, de acordo com o site ‘Leukemia Care’. Mais de 437.000 pessoas são diagnosticadas anualmente, ou seja, mais de 1.000 por dia. O número de mortes é superior a 300.000 em todo o globo.

 

Apoio ao Paciente: 

O Projeto Camaleão apoia pessoas com qualquer tipo de câncer. Se você está enfrentando a leucemia, saiba que pode contar conosco, participando de nossas atividades online gratuitas  para pacientes, familiares e cuidadores! Saiba mais em www.projetocamaleao.com ou pelo whatsApp 51 99684-7450.

Categorias: Blog, Leucemia

Postagens Relacionadas

Participe do Desafio CB 03 de Outubro | 2021

Participe do Desafio CB

Dia Mundial do Doador de Medula 30 de Setembro | 2021

Dia Mundial do Doador de Medula

Leucemia não é tudo igual 30 de Setembro | 2021

Leucemia não é tudo igual

@projetocamaleao

Acreditamos que o câncer pode ser uma sentença de vida!

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Clique em Saiba Mais para acessar nossa Politica de Privacidade. Saiba mais

Confirmar