Estadiamento evolutivo: o que é e como entender

Por Camaleão 28 de Novembro | 2020

Conteúdo patrocinado pela Novartis

 

O estadiamento do câncer é a maneira como os médicos utilizam para classificar e melhor abordar o tratamento do paciente, com estratégias terapêuticas bem definidas em torno da classificação evolutiva da doença. É a partir do estadiamento que se sabe a profundidade, a extensão do tumor, o prognóstico de cada paciente e frequência dos exames de acompanhamento.1,2

Estou em estágio III e IV, e agora?

Os pacientes em estágio III e IV, ou seja, que apresentam melanoma metastático, têm tido melhorias progressivas na melhoria da qualidade de vida com o desenvolvimento de pesquisas voltadas para as chamadas terapias-alvo. Com essa abordagem, as medicações atingem apenas as células tumorais e preservam as células saudáveis.3

O histórico familiar aumenta o risco do desenvolvimento da doença no indivíduo. Alguns genes estão relacionados com a incidência ou com o prognóstico do melanoma. É importante rastrear a existência de mutações, uma vez que o conhecimento de alterações genéticas é determinante para a seleção de um tratamento ainda mais individualizado.

Conheça alguns dos principais:

   

 

Entenda mais sobre a mutação BRAF

            Prevalente em metade dos casos de melanoma avançado, conhecer a presença ou não da mutação BRAF é fundamental para que as equipes de saúde tomem decisões terapêuticas mais direcionadas, como as novas terapias-alvo. estratégias terapêuticas para o manejo do melanoma.

A descoberta da mutação BRAF é bem recente, de 2002, mas já permitiu avanço no tratamento do melanoma avançado. Entre os avanços, estão as terapias-alvo, capazes de atingir somente as células com a mutação no gene BRAF.5-7

            Converse com o seu oncologista para que ele avalie o seu estadiamento e verifique a necessidade da realização para o teste da mutação BRAF.

Ainda tem dúvidas? Entre em contato com o Programa de Apoio ao Paciente Novartis para saber mais sobre o melanoma e os tratamentos disponíveis.

Programa de Apoio ao Paciente Novartis

Ligue para nós em 0800 776 6300. Nosso horário de atendimento é de segunda a sexta-feira das 8h às 20h.

 

Referências

  1. HABIF, Thomas P. Dermatologia clínica: guia colorido para diagnóstico e tratamento. Tradução de Maria Inês Correa Nascimento et al. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.
  2. RIVITTI, Evandro A. Dermatologia de Sampaio e Rivitti [recurso eletrônico]. São Paulo: Artes Médicas, 2018.
  3. AZULAY, Rubem David; AZULAY, David Rubem; AZULAY-ABULAFIA, Luna. Dermatologia. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017.
  4. The AIM at melanoma foundation. BRAF in Melanoma – answering questions, addressing misconceptions [recurso eletrônico]. Disponível em https://www.aimatmelanoma.org/wp-content/uploads/BRAFinMelanoma.pdf. Acesso em: setembro de 2020.
  5. Davies et al. Mutations of the BRAF gene in human cancer. Nature. 2002;417:949–954. doi: 10.1038/nature00766.
  6. American Cancer Society. Targeted Therapy for Melanoma Skin Cancer. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/melanoma-skin-cancer/treating/targeted-therapy.html. Acesso em: setembro de 2020.
  7. Melamoma Just Got Personal. Testing & Treatment. Disponível em: http://www.melanomajustgotpersonal.com/advanced-melanoma-testing-and-treatment/. Acesso em: setembro de 2020.
Categorias: Blog, Melanoma

Postagens Relacionadas

Participe do Desafio CB 03 de Outubro | 2021

Participe do Desafio CB

Dia Mundial do Doador de Medula 30 de Setembro | 2021

Dia Mundial do Doador de Medula

Leucemia não é tudo igual 30 de Setembro | 2021

Leucemia não é tudo igual

@projetocamaleao

Acreditamos que o câncer pode ser uma sentença de vida!

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Clique em Saiba Mais para acessar nossa Politica de Privacidade. Saiba mais

Confirmar